Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Sections
Entrada > Comunicação > Notícias > Armamar e a maçã de montanha

Armamar e a maçã de montanha

Armamar é um destino surpreendente mesmo para quem acha que já viu tudo! Paisagens únicas entre caminhos totalmente envoltos na natureza.

Maçã de Montanha é o nome dado à rota turística criada pela autarquia em parceria com dois agentes ligados ao setor do turismo da região duriense. A rota percorre a vertente sul do Município onde a vinha dá lugar a um magnífico jogo de cores e sabores. O recorte das paisagens modifica-se com o aparecimento das macieiras, uma das referências da produção agrícola de Armamar.

Um produto que sugere que parta à descoberta da maçã de montanha entre os meses de abril e outubro permitindo-o acompanhar o ciclo vegetativo, recolha, armazenamento e escoamento da maçã. O turista pode contactar com produtores, visitar pomares, unidades de armazenamento de maçãs, provar as delícias gastronómicas da região e vislumbrar paisagens singulares que ficarão para sempre registadas na memória.

Delicie-se com sabores de comer e chorar por mais e aceite o caloroso acolhimento de uma gente que recebe da melhor forma quem os visita. O cabrito assado no forno apresenta-se por todo o município, assim como os conhecidos queijos produzidos em Vila Nova, ex-libris da região. A diversidade de paisagens e condições climatéricas proporcionam a produção de vinhos de excelente qualidade, acompanhamento essencial da gastronomia.

Nos centros históricos a oferta varia entre as casas de relevante interesse arquitetónico e os monumentos de época que retratam crenças dos povos e costumes ancestrais. Verdadeiros tesouros que levam a história das gentes lutadoras e orgulhosas da região além fronteiras.

Os visitantes têm a oportunidade de percorrer um território rico em património natural e histórico, vivenciando múltiplas experiências. Um Município excepcional que oferece hospitalidade e emoção a cada descoberta.

 

Acompanhe-nos e percorra a rota

A partida é feita do monumento erigido a Armamar, Capital da Maçã de Montanha na entrada sul da vila, seguindo para a empresa de armazenamento Pomar Douro. O percurso tem passagem pelas aldeias de Tões e Queimada. É em São Romão que o visitante tem contacto direto com os pomares de macieiras. A ermida da Senhora das Dores em Santiago é local de paragem onde o turista tem a oportunidade de apreciar a beleza histórica e natural da região. Há ainda oportunidade de visitar a fábrica de queijos em Vila Nova. Na localidade de Lumiares envolvemo-nos na história e saberes populares de gentes ligadas às tradições antigas. A viagem continua por Gojim, Armamar e termina na ermida de São Domingos em Fontelo.

O monumento a Armamar, Capital da Maçã de Montanha simboliza a importância da fruticultura na economia da população. A qualidade da maçã de Armamar é reconhecida a nível nacional e o seu peso na economia da região é relevante. Com cerca de 1600 ha de área plantada, colhem-se por ano uma média de 55 mil toneladas de maçãs.

A Pomar Douro, produtos agrícolas, Lda. é uma das unidades de armazenamento que possui câmaras frigoríficas onde são conservadas muitas toneladas de maçãs até ao seu escoamento para o mercado. As maçãs passam por controlo de qualidade, desde o pomar passando pelo modo de tratamento até à colheita.

Em Tões a produção agrícola da freguesia incide na vinha e na fruta com destaque para a maçã. Em tempos e face à intensa produção de trigo e centeio o monte Raso era considerado o grande celeiro da freguesia e arredores. A paisagem deste lugar é singular, daqui se avista grande parte do município num misto de cores e recortes.

O sector primário é fonte de rendimento da freguesia de Queimada. Os campos possuem grande potencial agrícola destacando-se na produção de vinho, batata, fruta e produtos hortícolas. Queimada situa-se num planalto junto do monte de São Domingos e em pleno vale de Naçarães, local rico do ponto de vista arqueológico.

O nome da freguesia de São Romão surge do padroeiro da paróquia. Terra antiga foi-lhe atribuída honra de cavalaria na idade média, isto significa que fora em tempos uma das terras atribuídas a “ricos-homens” para que cuidassem dos cavaleiros que haveriam de servir na guerra. Nos dias de hoje predominam os pomares de maçãs e as vinhas que resultam na produção dos vinhos da região do Távora - Varosa.

A freguesia de Santiago recebeu carta de foro a 1169 por D. Afonso Henriques. O espólio religioso é rico em história e detalhes. A capela da Senhora das Dores encontra-se fora da povoação e é um marco de culto e beleza. Enquadrada no recinto da feira que se realiza no primeiro domingo de cada mês.

Em Vila Nova predominam as indústrias caseiras de laticínios e carne, resultado da atividade pastorícia. É conhecida como a terra dos queijinhos de cabra e por um produto que é dos melhores rótulos da gastronomia de Armamar, o Cabritinho.

A localidade de Lumiares é muito antiga e foi cabeça de concelho e condado. Obteve foral antigo, casa de câmara, vereadores e justiças próprias com juiz. Do espólio destaca-se a capela paroquial da senhora da Graça e o pelourinho transformado em cruzeiro.

A Casa Grande em Gojim é o único solar existente no Município. Imóvel de uma beleza arquitetónica, imponência e importância foi residência dos condes de Vila Flor e Alpedrinha. A introdução do pomar em vez de vinha deve-se a D. Francisco Vilhena, engenheiro agrónomo e 9.º conde de Vila Flor e 2.º de Alpedrinha.

A vila de Armamar está situada numa encosta íngreme e tem aos seus pés a cascata da Misarela. Sede do Município é aqui que se encontram as infra-estruturas e os serviços que dão apoio a toda a população. Do património histórico merece visita a Igreja Matriz de São Miguel de Armamar, monumento nacional. No centro da vila tem à disposição os serviços do posto de turismo.

Fontelo foi elevado a concelho através de foral Manuelino em 1514, extinguido depois em 1834/35. A ermida de São Domingos é um excelente miradouro e é considerado um dos locais mais bonitos da região para apreciar a beleza do Alto Douro Vinhateiro. Aqui reside o culto antigo da fraga da fertilidade. Consta que os casais que tivessem dificuldades em conseguir ter filhos dormiam ao relento sobre a pedra propiciatória, ou fraga da fertilidade, junto da porta da sacristia da ermida.

Armamar é Terra de Emoções!

Integrado na região demarcada do Douro, o município possui características únicas e é nomeado cada vez mais como destino de eleição entre a oferta turística regional. Uma alternativa à tradicional oferta turística massificada.

Neste projeto colaboram agentes locais de fruticultura, restauração, alojamento, promotores de eventos e agentes de viagens. Os responsáveis pela gestão de cada sítio disponibilizam informação precisa sobre cada local proposto e outras sugestões para que o turista enriqueça a sua visita.

Uma iniciativa que pretende divulgar a região e torná-la num centro catalizador de oportunidades e potencialidades.

 

:: FIM ::

 

gabinete comunicação imagem

06/05/2014